Acerca de Buenos Aires

Cidade “Europeia” na aparência, do “novo mundo” no espírito livre, mas sobretudo com uma sensualidade muito própria, Buenos Aires faz jus à sua fama de capital da cultura latino-americana. Traçar um itinerário é sobejamente simples – assistir a um tango ou degustar churrasco de novilho alimentado a pasto estará certamente no topo da lista de muitos visitantes – mas a capital argentina compensa aqueles que estão dispostos a improvisar e a deixar-se levar pela onda: por isso, relaxe, e não fique surpreso se por acaso tiver que furar aqueles planos tão bem organizados.

Comece a descobrir Buenos Aires pela Plaza de Mayo, situada em pleno coração histórico da cidade. Depois, percorra a Avenida com o mesmo nome e o seu incontornável espólio arquitetónico, recheado de imponentes joias como o Palácio Barolo, edificado em inícios do século XX (www.pbarolo.com.ar). Para procurar as raízes do tango, dirija-se para La Boca, a sul. Famoso pelos seus cortiços, pintados com cores vivas, este bairro também acolhe a antiga equipa de futebol de Diego Maradona, o Boca Juniores (www.museoboquense.com). Compense a nostalgia com um visita ao museu MALBA de Palermo (www.malba.org.ar), que exibe uma exposição permanente de arte contemporânea da América do Sul de classe mundial.

Podemos dizer o mesmo da posta grelhada, um ex-libris da gastronomia argentina. A San Telmo’s La Brigada (www.parrillalabrigada.com.ar) é uma parilla, espécie de churrascaria tradicional, onde empregados de mesa vestidos de smoking “talham” o lombo (filé) com uma colher de sobremesa. Se procura um menu mais contemporâneo, no ambiente sofisticado da baixa, experimente o Aldo’s (www.aldosvinoteca.com), cuja garrafeira é o abecedário dos melhores vinhos argentinos. Os já enfadados da carne fazem fila no Tô (www.torestaurant.com), um restaurante francês-japonês – ou “Fraponês” – com uma fusão das duas cozinhas, em Palermo Viejo.

Onde há boa carne de vaca, existe certamente boa pele, por isso, prepare-se para transportar malas e carteiras extra na sua viagem de regresso. Na baixa, a Casa López (www.casalopez.com.ar) oferece uma magnifica seleção de acessórios para homem e senhora. A Recoleta’s Arandú (www.arandu.com.ar) é especialista em prendas tradicionais de luxo, tais como pingalins em pele, botas de polo e cabaças com gravuras finamente talhadas em prata. E, se para si ir às comprar é “puro voyeurismo”, visite o mercado de domingo (www.feriadesantelmo.com) na San Telmo’s Plaza Dorrego.

Durante a primavera, se tiver a sorte de lá estar, poderá exibir as suas novas aquisições no torneio de polo mais famoso do mundo, o Open da Argentina, que decorre em Palermo, nos meses de novembro e dezembro (www.aapolo.com). Os amantes de arte podem fazer coincidir a sua visita com a arteBA, a maior feira de arte da América Latina (www.arteba.org), realizada em maio. Outra grande atração que tem lugar em agosto, é o Festival de Tango e o Campeonato do Mundo (www.tangobuenosaires.gob.ar), uma celebração que abrange a cidade inteira e uma contribuição ímpar que a Argentina presta à cultura popular.

Pode, com certeza, assistir um espetáculo de tango em qualquer serão do ano, o jantar seguido da atuação na Esquina Carlos Gardel (www.esquinacarlosgardel.com.ar) contém a dose certa de excitação e autenticidade. Brinde às badaladas da meia-noite no Milión (www.milion.com.ar), um bar palaciano em plena zona cara de Recoleta e depois dance até ao amanhecer no Jet (www.jet.com.ar), um clube noturno com vistas para o Rio de la Plata. (Fica ainda a dica para os que gostam dos dois extremos: “siesta”)

Informe o seu destino

Pesquisar e reservar um hotel

OPCIONAL

calendário

 noite(s)

+ mais opções

> Ver/cancelar reserva

Garantia do melhor preço